Junho 13, 2024

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Perspectivas para Portugal melhoram “positivamente”

Perspectivas para Portugal melhoram “positivamente”

“A decisão da Moodie’s de mudar a perspetiva para reformas económicas e financeiras positivas e de longo prazo, o desinvestimento das famílias e instituições não financeiras e a reparação do setor bancário resultará numa melhoria contínua e duradoura do perfil de crédito. a economia e solidez orçamental”, refere a Moody’s no relatório sobre a dívida soberana portuguesa.

O ‘rating’ afirmado em Baa2 reflete “significativa diversificação da economia do país”, bem como “riqueza relativamente elevada” e “elevada solidez institucional, ainda elevado endividamento e moderada exposição a riscos. Eventos relacionados com o sector bancário e riscos geopolíticos “.

Na avaliação, a Moody’s parte de um cenário em que o Produto Interno Bruto (PIB) deve crescer 2,2% em 2023, com desaceleração significativa da demanda doméstica e 2% em 2024.

Ele também estima que a economia crescerá em média 2% nos próximos cinco anos.

A agência também destacou o declínio do déficit e da dívida pública no ano passado, que ficou abaixo dos níveis pré-pandemia em 2019 e dois anos antes do que a Moody’s esperava na última ação de rating.

“A Moody’s espera que as autoridades continuem comprometidas com políticas fiscais prudentes e reduzam as medidas políticas relacionadas à energia ao longo de 2023-24”, prevendo que o peso da dívida caia para 103% do PIB em 2024.

“A agência pode elevar a classificação do país se surgirem novas evidências de que as métricas da dívida soberana continuarão a melhorar em um ritmo constante, o crescimento econômico permanecerá robusto e o impacto dos choques econômicos sobre a dívida será moderado e rapidamente moderado”, observou.

Por outro lado, ele observa, “se o peso da dívida subir novamente, a perspectiva voltará a ser estável”, o que ele explica pode se manifestar pela “redução do apoio político a políticas fiscais prudentes, incluindo maior demanda”. para gastos mais altos ou crescimento econômico economicamente mais baixo do que as projeções atuais da Moody’s”.

A Moody’s comentou pela última vez sobre Portugal a 17 de setembro de 2021, elevando o rating da dívida portuguesa de ‘Ba3’, acima de ‘Junk’, para ‘Ba2’, com perspetiva estável.

No segundo semestre, a DBRS voltará a ser a primeira agência a emitir um parecer sobre a dívida soberana portuguesa a 21 de julho.