Maio 21, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Portugal escolhe novo governo com 50 mil milhões de dólares de fundos da UE na mesa

LISBOA, Portugal (AP) – O Partido Socialista de centro-esquerda de Portugal venceu a terceira eleição geral consecutiva neste domingo, retornando ao poder enquanto o país se prepara para implantar bilhões de euros (dólares) de ajuda da União Europeia para a economia após a pandemia de COVID-19 .

Em uma votação que ocorreu em meio a uma onda de casos de coronavírus atribuídos à variante omicron, e com cerca de 1 milhão de eleitores infectados autorizados a sair de casa para votar, os socialistas elegeram pelo menos 112 parlamentares no parlamento de 230 assentos.

Com 98,7% dos votos apurados, os socialistas tinham 41%, em comparação com 28% de seu principal rival, o Partido Social Democrata, de centro-direita, que conquistou pelo menos 68 assentos parlamentares. Restavam dezoito assentos a serem alocados.

Não ficou claro se os socialistas chegariam a 116 legisladores, permitindo a promulgação de legislação sozinha, ou se ficaria aquém desse número e precisaria fechar acordos para o apoio de partidos menores. Os resultados tardios podem sair na segunda-feira.

O líder socialista António Costa, que deverá regressar ao cargo de primeiro-ministro, ofereceu imediatamente um ramo de oliveira aos seus adversários. Ele disse que encorajaria alianças com outros partidos no parlamento para superar as dificuldades econômicas do país inspiradas pela pandemia.

“A missão é virar a página da pandemia e trazer os setores afetados de volta à vida”, disse Costa em um discurso de vitória.

As apostas são altas para o próximo governo. Portugal, um país de 10,3 milhões de pessoas e o mais pobre da Europa Ocidental, está prestes a começar a implantar 45 bilhões de euros (50 bilhões de dólares) em ajuda como membro da UE para ajudar a estimular a economia após a pandemia.

READ  Portugal realiza primeira licitação pelo direito de instalação

Dois terços dessa quantia destinam-se a projetos públicos, como grandes infraestruturas, dando ao próximo governo uma bonança financeira. O outro terço será concedido a empresas privadas.

Uma maioria parlamentar facilitaria o caminho do próximo governo na alocação desses fundos em um país cuja economia luta para ganhar força desde a virada do século.

As duas últimas administrações socialistas foram governos minoritários. Desde que chegou ao poder em 2015, o Partido Socialista contou com o apoio de seus aliados menores no parlamento – o Bloco de Esquerda e o Partido Comunista Português – para garantir que o orçamento anual do Estado tivesse votos suficientes para ser aprovado.

Mas há dois meses suas diferenças, especialmente sobre gastos com saúde pública e direitos dos trabalhadores, eram insuperáveis, deixando o primeiro-ministro Costa sem votos no parlamento para aprovar o plano de seu partido e provocando eleições antecipadas.

Costa pode precisar repetir sua astúcia política para forjar outra aliança entre partidos em um parlamento fragmentado.

Cerca de 10,8 milhões de eleitores – 1,5 milhão deles vivendo no exterior – foram elegíveis para escolher legisladores na Assembleia da República, o parlamento de Portugal, onde os partidos políticos decidem quem forma um governo.

Chega! (Basta!), Um partido populista e nacionalista fundado há menos de três anos, arrecadou cerca de 7% dos votos. Isso pode resultar em uma dúzia de legisladores, contra apenas um no último parlamento.

O Bloco de Esquerda capturou cerca de 4% dos votos, com quase o mesmo indo para o Partido Comunista Português. Outros partidos menores poderiam obter uma ou mais cadeiras parlamentares e oferecer apoio a Costa.

A economia de Portugal precisa de uma injeção de ânimo, que os fundos da UE podem fornecer.

READ  Por que Portugal tem um renascimento do álcool

O país está ficando para trás do resto dos 27 países da UE desde 2000, quando seu produto interno bruto anual real per capita era de 16.230 euros (US $ 18.300) em comparação com uma média da UE de 22.460 (US $ 25.330). Em 2020, Portugal subiu para 17.070 euros (US$ 19.250), enquanto a média do bloco subiu para 26.380 euros (US$ 29.750).

Os socialistas prometeram aumentar o salário mínimo mensal, ganho por mais de 800 mil pessoas, para 900 euros (1.020 dólares) até 2026. Atualmente, é de 705 euros (800 dólares). Os socialistas também querem “iniciar uma conversa nacional” sobre trabalhar quatro dias por semana em vez de cinco.

Direitos autorais 2022 The Associated Press. Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem permissão.