Outubro 5, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Putin assina um decreto para aumentar o tamanho das forças armadas russas

Putin assina um decreto para aumentar o tamanho das forças armadas russas

ARQUIVO – O presidente russo, Vladimir Putin, participa de uma reunião televisionada com autoridades para discutir incêndios florestais em uma residência nos arredores de Moscou em 24 de agosto de 2022. Sputnik/Mikhail Klementev/Kremlin via Reuters

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

(Reuters) – O presidente da Rússia, Vladimir Putin, assinou nesta quinta-feira um decreto aumentando o tamanho das Forças Armadas da Rússia de 1,9 milhão para 2,04 milhões, quando a guerra na Ucrânia entrou em seu sétimo mês.

Moscou não revelou nenhuma vítima no conflito desde suas primeiras semanas, mas autoridades ocidentais e o governo de Kyiv dizem que são milhares.

O aumento inclui um aumento no pessoal de combate de 137.000 para 1,15 milhão. Entra em vigor no dia 1º de janeiro, de acordo com o decreto publicado no portal legislativo do governo.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

A última vez que Putin especificou o tamanho do exército russo foi em novembro de 2017, quando o número de militares foi fixado em 1,01 milhão do número total de forças armadas, incluindo não-combatentes, de 1,9 milhão.

A Rússia não mencionou o número de mortos e feridos na Ucrânia desde as primeiras semanas da campanha, quando disse que 1.351 de seus soldados foram mortos.

Estimativas ocidentais dizem que o número real pode ser pelo menos dez vezes maior, enquanto a Ucrânia diz ter matado ou ferido pelo menos 45.000 soldados russos desde que o conflito – que Moscou chama de operação militar especial – começou em 24 de fevereiro.

Kyiv também relutou em divulgar informações sobre quantos de seus soldados morreram na guerra, mas na segunda-feira o chefe das Forças Armadas da Ucrânia disse que quase 9.000 soldados foram mortos em uma rara atualização. Consulte Mais informação

READ  EUA proíbem voos russos do espaço aéreo dos EUA

O decreto de Putin não dizia como o aumento de pessoal seria alcançado, mas instruía o governo a alocar o orçamento correspondente.

De acordo com um relatório anual oficial do Instituto Internacional de Estudos Estratégicos, a Rússia tinha 900 mil militares ativos no início deste ano e uma reserva de 2 milhões de pessoas em serviço nos últimos cinco anos.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Reportagem da Reuters. Edição por John Stonestreet e Angus McSwan

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.