Fevereiro 9, 2023

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Quais serão as tendências imobiliárias em Portugal em 2023?

Apesar do enquadramento geopolítico e macroeconómico, 2022 será um ano dinâmico para o mercado imobiliário. De acordo com os especialistas UCI PortugalA renovação e a continuação do investimento estrangeiro são duas tendências que se vão destacar em 2023.

“A reabilitação imobiliária tem duas motivações principais, que podem andar de mãos dadas. Uma é a questão financeira, porque, em regra, é muito acessível adquirir um imóvel para reabilitação. Este tipo de negócio interessa aos investidores, que pode comprar esses imóveis e depois colocá-los no mercado em busca de uma valorização. A outra é ambiental. A questão é porque a reabilitação, se tiver em conta a eficiência energética, pode reduzir as emissões de um activo. Reabilitação e sustentabilidade muitas vezes andam de mãos dadas”, afirmou Pedro McRae, CEO da UCI Portugal, em comunicado. Idealista.

Outra tendência que marcará 2023 será a continuação e aumento do investimento estrangeiro no imobiliário em Portugal. “Portugal está numa posição geográfica privilegiada, longe de conflitos, ao mesmo tempo que continua a ser uma boa base para quem quer viver na Europa, a poucas horas de avião dos principais centros de decisão oferecendo bom tempo, belas paisagens, segurança e uma boa qualidade de vida. Recentemente, os americanos têm crescido entre os compradores. Vem se destacando nacionalmente, algo que precisa ser mantido”, continua Pedro McRae.

Uma terceira tendência, em relação à guerra na Ucrânia e suas consequências econômicas, será imprevisível. “Os últimos anos nos ensinaram que existem fatores imprevisíveis, antes de tudo, o comportamento das maiores economias europeias influencia as ações do BCE e, portanto, determina como o ano pode ser. Para o bem ou para o mal, estamos no mercê do mercado internacional, o que fará de 2023 um ano melhor, ou significa que será um ano com resultados mais conservadores”, conclui o presidente da UCI em Portugal.

READ  JudoInside - Notícias - Campeões portugueses dão os primeiros passos no ranking mundial para 2023

Artigos relacionados: