Dezembro 5, 2021

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Rede de Cobrança Financeira do BEI em Portugal e Espanha


O Banco Europeu de Investimento (BEI) oferece 41 41,5 milhões à portuguesa Galp. Prevê-se a introdução de 5.500 pontos de carregamento até 2025.

A Galp prevê instalar 55 por cento das suas estações de carregamento em zonas de baixo crescimento e em zonas síncronas da Península Ibérica. No total, a empresa pretende definir 10.000 pontos de carregamento até 2025 – outros 5.000 fora do plano financiado pelo BEI.

O Banco Europeu de Investimento espera que o acordo “melhore o mercado de infraestruturas de carregamento de veículos elétricos, melhore o desempenho tecnológico, reduza os custos de equipamento inicial e mobilize o investimento na indústria de veículos elétricos, contribuindo assim para veículos mais eficientes e acessíveis.”

O empréstimo de 0,5 41,5 milhões é um terço do que o BEI concedeu à empresa. O seu valor total é de 406,5 milhões de euros. Os outros dois empréstimos destinam-se ao financiamento de centrais fotovoltaicas – o principal negócio da Galp. A empresa sediada em Lisboa, que emprega 6.360 pessoas, prometeu investir metade do seu investimento líquido entre 2021 e 2025 em projetos relacionados com a conversão para o modelo de baixo carbono, dos quais 30 por cento são em energias renováveis ​​e cinco em novos. indústrias.

“O compromisso da Calvin em nos tornarmos uma empresa neutra em carbono nos empurra para sermos ousados ​​nas ações que tomamos hoje, garantindo que prosperemos por meio da mudança energética”, disse Andy Brown, CEO da Calvin. “O nosso projecto de redesenho do nosso portfólio já está em curso. A Galp está a acelerar a integração de soluções energéticas de baixo carbono nos nossos negócios. O apoio do BEI é importante para acelerar o crescimento destes projectos.”

READ  O sucesso dos mestres portugueses é fundamental para restaurar o turismo de qualidade

Em consonância com os objetivos da UE em matéria de alterações climáticas, o Banco da UE está empenhado em “mobilizar 11 trilhões para a ação climática e a sustentabilidade ambiental ao longo da década crítica até 2030”. Para tal, o Banco pretende aumentar gradualmente a sua contribuição financeira para estes objetivos para 50 por cento até 2025.

Para a decorbonização do setor dos transportes, o BEI dispõe de uma ferramenta denominada CTF (Clean Transport Facility). Além disso, o CEF (Connecting Europe Facility) e o CEF DI (CEF Debt Instrument), uma ferramenta para promover o crescimento, o emprego e a competitividade através de investimentos direcionados em infraestruturas a nível europeu, também são utilizados, principalmente para os transportes. Campos de energia. Este último é usado para atender às necessidades específicas do mercado onde o financiamento privado é insuficiente. As doações da CEF e da CEF-DI podem ser combinadas conforme necessário para apoiar projetos.

eib.org