Junho 21, 2024

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Rishi Sunak promete continuar lutando, mas os parlamentares conservadores estão se sentindo sombrios

Rishi Sunak promete continuar lutando, mas os parlamentares conservadores estão se sentindo sombrios
  • Escrito por Becky Morton e Nick Eardley
  • Política da BBC

Fonte da imagem, Imagens Getty

Rishi Sunak disse que o resultado das eleições gerais “não é uma conclusão precipitada”, apesar do conjunto “decepcionante” de eleições locais do Partido Conservador.

Falando às emissoras pela primeira vez desde que a escala das perdas dos conservadores se tornou clara, o primeiro-ministro disse estar “determinado a lutar”.

O partido perdeu 470 cadeiras no conselho, bem como todas as disputas para prefeito, exceto uma.

A BBC conversou com vários parlamentares do Partido Conservador que refletiram o crescente pessimismo dentro do partido.

Uma figura importante do partido descreveu os próximos meses como uma “retirada ordenada” e falou dos Conservadores aguardando o seu destino.

Mas parece não haver perspectiva de ação contra Rishi Sunak nos próximos dias.

Anteriormente, o Sr. Sunak Ele disse ao Times Os resultados das eleições locais “sugerem que estamos a caminhar para um parlamento dividido, com os Trabalhistas como o maior partido” – e ele parece admitir pela primeira vez que o seu partido pode estar no caminho certo para perder a maioria.

Ele disse: “Apoiar Keir Starmer em Downing Street pelo Partido Nacional Escocês, pelos Liberais Democratas e pelo Partido Verde seria um desastre para a Grã-Bretanha”.

“O país não precisa de mais negociações políticas, mas de ação.”

O Partido Trabalhista negou que pretenda estabelecer alianças com outros partidos para formar governo nas próximas eleições gerais, previstas para o segundo semestre deste ano.

Esta previsão, rejeitada por alguns especialistas em sondagens, utilizou os resultados das eleições locais para estimar uma estimativa nacional da percentagem de votos nas eleições gerais.

Presume-se que todos votarão nas eleições gerais da mesma forma que votaram nas eleições locais que tiveram lugar na semana passada. Contudo, os partidos pequenos e os candidatos independentes tendem a ter melhores resultados nas eleições locais.

Também não tem em conta o que poderia acontecer na Escócia, utilizando em vez disso os resultados das eleições gerais de 2019, enquanto se espera que o Partido Trabalhista tenha um desempenho muito melhor lá este ano.

Objetando a sua sugestão de que poderia haver um parlamento suspenso, Sunak disse: “Uma análise independente mostra que embora este tenha sido um fim de semana decepcionante para nós, o resultado das próximas eleições gerais não é uma conclusão precipitada, na verdade é como que”. Mais perto do que muitas pessoas dizem, ou mais perto do que dizem ou prevêem algumas pesquisas de opinião.

“É por isso que estou absolutamente determinado a lutar arduamente por aquilo em que acredito e pelo futuro país que quero construir, e é isso que farei.”

Um deputado disse que falar de um parlamento suspenso era “delirante” e disse que os conservadores teriam sorte se conquistassem mais de 200 dos 650 assentos nas eleições gerais.

Jeremy Corbyn conquistou 202 cadeiras ao derrotar o Trabalhismo em 2019.

Outros são mais pessimistas e acreditam que o número de deputados conservadores poderá ser semelhante ao de 1997, quando John Major regressou a apenas 165.

Um ex-ministro, que enfrenta o desafio de manter o seu assento, disse que a questão para os eleitores é que devem votar nos conservadores para impedir a vitória esmagadora do Partido Trabalhista.

A tarefa do Primeiro-Ministro nos próximos dias será tentar reunir o seu partido e convencê-los a todos.

Mas, como tem acontecido há algum tempo, ainda há um debate ativo sobre o que o partido deve fazer a seguir.

A ex-primeira-ministra Liz Truss está entre aqueles que afirmam, em privado, que uma mudança de líder seria uma loucura, mas os conservadores precisam de realizar uma “reforma fundamental” – política, não individual.

Há números do partido de direita que são irritantes e que apelam aos conservadores para que apoiem a saída da Convenção Europeia dos Direitos Humanos.

Alguns querem reformas radicais ou novas medidas para cortar impostos.

Alguns sugeriram a criação de questões mais controversas para destacar as diferenças com o Partido Trabalhista em questões culturais.

A ex-ministra do Interior, Suella Braverman, estava entre os que apelaram ao primeiro-ministro para mudar de rumo e adoptar políticas mais de direita, embora tenha dito que seria “impossível” mudar de líderes com as eleições gerais a aproximarem-se.

Mas os integrantes do grupo centrista One Nation concordam com Andy Street, que perdeu as eleições para prefeito de West Midlands por apenas 1.508 votos, que o partido deveria se concentrar no “conservadorismo moderado, inclusivo e tolerante”.

Um representante disse que falar em ficar do lado da direita é “ridículo”.

“Eles são uma minoria.”