Outubro 7, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Sanções colocarão a economia “fortificada” da Rússia à prova

Sanções colocarão a economia "fortificada" da Rússia à prova
Desde 2014, quando os Estados Unidos e seus aliados ocidentais impuseram sanções a Moscou após anexação da Crimeia Ao derrubar o voo 17 da Malaysia Airlines, o presidente russo estava tentando construir uma economia que pudesse resistir a sanções mais duras.

O medo do que as sanções poderiam fazer fez com que as ações russas caíssem 33% na quinta-feira. Desde então, eles recuperaram algumas dessas perdas, mas o rublo continua sendo negociado perto de baixas recordes em relação ao dólar e ao euro.

A economia de US$ 1,5 trilhão da Rússia é a décima primeira maior do mundo, depois da Coreia do Sul. Desde 2014, seu PIB mal cresceu e sua população está ficando mais pobre. O rublo também se desvalorizou, reduzindo o valor da economia russa em US$ 800 bilhões.

Durante o mesmo período, Moscou tentou afastar sua economia dependente do petróleo do dólar, limitando os gastos do governo e acumulando moeda estrangeira.

Os planejadores econômicos de Putin buscaram aumentar a produção doméstica de certos bens banindo produtos similares do exterior. Enquanto isso, Moscou acumulou um fundo de guerra de US$ 630 bilhões em reservas internacionais – uma quantia enorme em comparação com a maioria dos outros países.

A “economia da fortaleza” exige a construção de grandes reservas cambiais que podem ser gastas se as sanções forem dolorosas, disse David Lubin, economista do Citi e membro associado da Chatham House.

“A Rússia levou esse padrão a sério”, escreveu ele recentemente.

Algumas dessas reservas já foram publicadas. Na quinta-feira, o Banco Central da Rússia disse que estava intervindo nos mercados de câmbio para apoiar o rublo. Na sexta-feira, ele disse que estava aumentando a oferta de notas para caixas eletrônicos para atender à crescente demanda por dinheiro. A agência de notícias estatal russa TASS informou que muitos bancos tiveram aumento de saques desde a invasão da Ucrânia, principalmente em moedas estrangeiras.

READ  Notícias Ron Diantes - Últimas: Revelado Financiamento para Viagens de Migrantes

Ao construir um fundo de guerra, a dura estratégia de Putin também limitou o crescimento econômico, o investimento e a produtividade, e priorizou as empresas estatais sobre as privadas. A renda dos russos comuns despencou para níveis vistos pela última vez no início de 2010, e os novos investimentos estrangeiros diretos são mínimos. A Rússia também falhou na diversificação do petróleo e do gás, deixando-a altamente vulnerável às flutuações nos preços globais das commodities.

Capture o “castelo”

Menos de 24 horas depois que as forças russas atacaram a Ucrânia pelo norte, sul e leste, o presidente dos EUA, Joe Biden, revelou sanções abrangentes destinadas a prejudicar a economia russa e transformar Putin em um “pária” internacional.

As sanções dos EUA visam as duas maiores instituições financeiras da Rússia, Sberbank e VTB, e as impedem de processar pagamentos através do sistema financeiro dos EUA. As empresas estatais russas não poderão levantar capital através dos mercados dos EUA. As sanções cobrem quase 80% dos ativos bancários da Rússia.

Os EUA também estão tentando paralisar as empresas militares e industriais russas, impedindo-as de comprar tecnologia crítica, como chips de computador avançados.

A União Europeia, o Reino Unido, o Japão, a Austrália e outros países anunciaram suas próprias sanções contra empresas e indivíduos russos, uma ação coordenada sem precedentes em seu alcance e potencial impacto econômico. Autoridades dos EUA, Reino Unido e UE foram mais longe na sexta-feira e impuseram sanções ao próprio Putin.

“Acho que não vimos nada assim, e é muito mais severo do que as sanções de 2014”, disse Ika Korhonen, chefe do Instituto de Economias Emergentes do Banco da Finlândia e especialista em sistemas bancários e financeiros da Rússia. .

No entanto, a Rússia estava preparando sua economia para este momento. E como os preços mundiais do petróleo, de US$ 100 o barril, geram enormes receitas para o Estado, Moscou pode garantir o pagamento de salários e pensões.

READ  Por dentro da diplomacia silenciosa dos EUA para diminuir as tensões com os sauditas e os emirados - e aumentar a produção de petróleo

“Eles podem administrar por um tempo”, disse Korhonen. “Mas quanto mais tempo isso continuar, mais lento será o crescimento.”

Mais penalidades?

Os Estados Unidos e a União Européia até agora evitaram atacar as enormes exportações de petróleo e gás natural da Rússia, e a aliança não conseguiu chegar a um consenso sobre isolar Moscou da SWIFT, uma rede de mensagens altamente segura que conecta milhares de instituições financeiras ao redor do mundo.

Alguns especialistas argumentam que tais medidas devem ser consideradas agora para dissuadir Putin de novas agressões. A Ucrânia apelou para que a Rússia seja removida do sistema SWIFT, um apelo apoiado pela Lituânia, Estônia, Letônia e Reino Unido, mas resistido por outros países europeus – principalmente a Alemanha.

Ambas as medidas podem vir com um grande revés econômico para o Ocidente. Os preços do gás natural estão muito altos na Europa, e o corte no fornecimento para a Rússia pode empurrá-los para cima. Da mesma forma, um declínio nas exportações de petróleo da Rússia levará a preços mais altos do petróleo e da gasolina.

Mas à medida que as forças russas avançam para a capital, Kiev, esse preço é o que alguns dizem que o Ocidente deveria estar disposto a pagar.

“Não temos cinco anos para a economia russa se deteriorar lentamente. Precisamos fazer isso agora”, disse Tyler Kostra, professor associado de política e relações internacionais da Universidade de Nottingham, na Inglaterra.

– Nathan Hodge e Vasco Cutofio contribuíram com reportagem.