Setembro 27, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Se necessário, Portugal vai voltar a reforçar as proibições de COVID-19 no Natal -PM

LISBOA, 1 de dezembro (Reuters) – O governo português não hesitará em aumentar as restrições ao Natal para conter o recente aumento de casos do Govt-19, disse o primeiro-ministro Antonio Costa na quarta-feira.

Apesar de ter uma das taxas de vacinação COVID-19 mais elevadas do mundo, Portugal voltou a impor algumas restrições devido ao recente aumento de infecções e ao surgimento da variante Omicron. consulte Mais informação

O país de mais de 10 milhões de habitantes registrou um total de 4.670 novas infecções na quarta-feira, o maior salto diário desde o início de fevereiro, enquanto enfrentava sua batalha mais dura contra o vírus.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado a reuters.com

No entanto, a mortalidade e a hospitalização são muito inferiores às observadas nesse período.

Quando questionado se o governo poderia tomar mais medidas de controle durante o Natal, Costa disse aos repórteres: “Todos nós gostaríamos que essas medidas não fossem necessárias, mas se forem necessárias, vamos tomar essas medidas.”

Para lidar com a última rebelião, o governo tornou obrigatório na quarta-feira o uso de máscara em locais públicos fechados, recomendando trabalho na medida do possível e ordenando que todos os passageiros aéreos apresentem um teste negativo, mesmo que sejam vacinados. consulte Mais informação

As exceções são apenas para aqueles que possuem um certificado de recuperação após serem infectados com o vírus e para crianças de 12 anos ou menos.

Embora as novas regras sejam amplamente respeitadas, o Superintendente da Polícia Valente Pinho disse aos jornalistas na quarta-feira de manhã que um total de 20 passageiros foram multados em 300-800 euros por viajarem para Portugal através do aeroporto de Lisboa sem um teste COVID-19.

READ  World Trade Center Novo Hotel para Lisboa

Ele disse que as companhias aéreas que transportam passageiros não testados são multadas em 20.000-40.000 euros por pessoa.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado a reuters.com

Relatório de Sergio Concalves; Relatório Adicional de Katrina Demoni; Edição de Nathan Allen, Mark Heinrich, Paul Simao e David Gregorio

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.