Junho 20, 2024

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Ucrânia diz que “parou” a Rússia em Kharkiv e agora responde

Ucrânia diz que “parou” a Rússia em Kharkiv e agora responde

O exército ucraniano anunciou na sexta-feira que as forças ucranianas “impediram” o avanço da Rússia na região de Kharkiv, no nordeste do país, e estão agora a lançar um contra-ataque, mas Moscovo está a intensificar o seu ataque a outras partes da frente.

Kiev enfrenta uma nova ofensiva terrestre russa na região de Kharkiv desde 10 de maio, quando milhares de tropas russas invadiram a fronteira, realizando o seu maior avanço no terreno em 18 meses.

O presidente Volodymyr Zelensky visitou a capital da região na sexta-feira para discutir a batalha por Vovchansk, uma cidade localizada a menos de cinco quilómetros (três milhas) da fronteira.

“As Forças de Defesa Ucranianas detiveram as forças russas no setor de Kharkiv… A situação está sob controle e as operações de contra-ofensiva estão atualmente em andamento”, disse o exército.

O comandante-em-chefe ucraniano, Oleksandr Sirsky, disse nas redes sociais que, apesar do sucesso inicial, “o inimigo esteve completamente envolvido nas batalhas de rua por Vovchansk e sofreu pesadas perdas nas unidades de assalto”.

Numa tentativa de tomar a cidade, a Rússia está “atualmente transferindo reservas de vários setores para apoiar operações ofensivas ativas, mas sem sucesso”, acrescentou Sersky.

Mas alertou que a situação é volátil na frente oriental, onde a Rússia afirma que as suas forças obtiveram uma série de ganhos nas últimas duas semanas.

Ele acrescentou que os combates perto das cidades orientais de Chasev Yar, Pokrovsk e Korakhovy foram particularmente “severos”.

A Rússia disse na quinta-feira que fez incursões perto da cidade de Bakhmut, na região de Donetsk, no leste da Ucrânia.

Há apenas três dias, anunciou que tinha capturado a aldeia de Belogorivka, um alvo chave para Moscovo, que pretende arrancar a Kiev o controlo de toda a região de Luhansk.

READ  Putin diz que aproximadamente 40% do comércio russo é feito em rublos

Moscovo afirma ter lançado o ataque no nordeste da Ucrânia para criar uma “zona tampão” ao longo da fronteira para evitar futuros contra-ataques ucranianos no seu território.

Greves ferroviárias

Enquanto a Ucrânia enviava as suas forças para o nordeste, Kiev acusou novamente Moscovo de atacar deliberadamente civis em ataques.

A Ferrovia Estatal Ucraniana (Ukrzaliznytsia) relatou uma série de ataques ao sistema ferroviário na região de Kharkiv durante a noite, danificando trilhos, vagões e edifícios.

“O inimigo continua as suas tentativas deliberadas de parar a linha férrea na região de Kharkiv”, disse ela no Telegram.

A empresa compartilhou fotos mostrando fumaça saindo de um veículo destruído, metal retorcido e detritos ao longo dos trilhos e um armazém com algumas janelas quebradas.

A companhia ferroviária estatal disse que os trens suburbanos e de longa distância estavam funcionando conforme programado, apesar dos repetidos ataques russos na rede, que é vital tanto para civis quanto para militares.

Os ataques em Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia, mataram pelo menos sete pessoas na quinta-feira, disseram as autoridades locais.

Mais de 11 mil pessoas foram evacuadas em toda a região desde que a Rússia iniciou a sua nova ofensiva, há duas semanas, segundo o governador local, Oleh Sinyhopov.

Separadamente, a Ucrânia disparou mísseis durante a noite contra a Crimeia ocupada pela Rússia, matando dois “transeuntes acidentais”, disse o chefe da região nomeado pela Rússia, Sergei Aksyonov.