Maio 27, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Ucrânia nomeia 10 soldados russos por supostas violações de direitos humanos em Bucha | Ucrânia

O procurador-geral ucraniano nomeou 10 soldados russos supostamente envolvidos em violações de direitos humanos durante o período Um mês inteiro de ocupação butcha.

Irina Venediktova Ele também disse à televisão alemã que os investigadores ucranianos identificaram “mais de 8.000 casos” de suspeitos de crimes de guerra desde a invasão russa, que inclui acusações de “matar civis, bombardear infraestrutura civil, tortura” e “crimes sexuais”.

Seus comentários foram feitos no momento em que o Tribunal Penal Internacional intensifica sua investigação sobre supostos crimes de guerra cometidos na Ucrânia desde o início da guerra. O governo holandês enviará “muito em breve” uma equipe de “dezenas” de especialistas forenses Ucrânia A APS informou na quinta-feira que está em nome do Tribunal Penal Internacional para coletar evidências de violações de direitos humanos.

A retirada das tropas russas de Kiev partiu no início de abril Aterrorizante evidência de atrocidades Espalhados nas periferias e cidades da região, dezenas de corpos em trajes civis foram encontrados nas ruas ou enterrados em covas rasas.

Em um post no Facebook na quinta-feira, Venedictova identificou 10 soldados – dois sargentos, quatro sargentos e quatro soldados – ela disse que estavam todos “envolvidos na tortura de pessoas pacíficas” durante a ocupação brutal de Bucha, uma pequena cidade de passageiros 18,5 milhas a noroeste de Kiev.

Venediktova disse que os soldados faziam parte 64 Brigada de Fuzileiros Motorizadosuma unidade sediada na região de Khabarovsk, na costa do Pacífico, no extremo leste da Rússia.

Durante a ocupação de Bucha, eles fizeram reféns civis desarmados, mataram-nos com fome e sede, e os mantiveram de joelhos com as mãos amarradas e os olhos com fita adesiva. [The hostages] Eles foram ridicularizados e espancados com punhos e espingardas. Eles foram espancados por informações sobre o site [Ukrainian] As forças armadas… e alguns deles foram torturados sem motivo nenhum”.

Venediktova apelou ao público para ajudar a coletar evidências e disse que promotores e policiais ucranianos estão investigando se algum dos homens também esteve envolvido nos assassinatos.

A Ucrânia, juntamente com vários países ocidentais e organizações de direitos humanos, acusou as forças russas de matar extrajudicialmente civis em Bucha.

Stanislav Kozynchuk, vice-chefe da promotoria da região de Kiev, disse que os investigadores estão trabalhando com as vítimas para identificar os autores das violações dos direitos humanos.

“Os suspeitos são soldados da Federação Russa”, disse ele. “Entendemos quem estava lá, o que aconteceu, e agora estamos analisando essas unidades militares envolvidas nos assassinatos”.

Ele disse que alguns dos soldados envolvidos já foram realocados para lutar no leste da Ucrânia.

nos últimos dias Relatórioa Human Rights Watch disse que “as forças russas cometeram uma série de aparentes crimes de guerra durante a ocupação” da cidade, acrescentando que os investigadores “encontraram extensas evidências de execuções sumárias, outros assassinatos ilegais, desaparecimentos forçados e tortura, os quais constituiriam crimes de guerra.” e potenciais crimes contra a humanidade.

Vigia Relatado Dezenas de civis foram mortos durante a ocupação russa de Bucha por uma pequena bala de metal do tipo de projéteis disparados pela artilharia russa.

No início deste mês, o Ministério da Defesa ucraniano identificou a 64ª Brigada de Fuzileiros Motorizados como a unidade que ocupou Bucha e divulgou os nomes, patentes e detalhes do passaporte de todos os soldados.

Moscou negou repetidamente qualquer envolvimento nas supostas violações de direitos humanos, enquanto a televisão estatal russa transmitiu reportagens alegando que imagens de mortes de civis em Bucha foram filmadas ou como resultado de crimes cometidos por forças ucranianas.

Durante uma reunião com o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, no Kremlin, na terça-feira, o presidente russo disse: Presidente russo Vladimir Putin“As forças russas não têm vínculos com Bucha”, disse ele.

“Sabemos quem fez isso. Sabemos quem preparou essa provocação… Sabemos quem são”, acrescentou Putin, sem dar mais detalhes.

No início deste mês, Putin concedeu à 64ª Brigada de Fuzileiros Motorizados o título honorário de “Guardiões” e elogiou a unidade por seu “grande heroísmo e coragem”.

“Esta alta distinção reconhece seus méritos especiais, grande heroísmo e coragem na defesa de sua pátria, na proteção da soberania e dos interesses nacionais da Rússia”, dizia o comunicado de Putin.

READ  Rússia é atingida por nova rodada de sanções dos EUA enquanto Biden denuncia grandes crimes de guerra