Junho 19, 2024

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Apple apresenta iPhone 15 com alterações no carregador USB-C

Apple apresenta iPhone 15 com alterações no carregador USB-C

Todo mês de setembro da última década, a Apple convidou a mídia de todo o mundo para um evento de marketing que celebra as conquistas criativas por trás de seu mais recente iPhone. Contribuiu para aumentar o brilho da aparência externa do telefone, a escultura em torno de suas câmeras e o poder de seus processadores.

Mas este ano, os designers e engenheiros de elite da Apple direcionaram o seu processo criativo e o seu marketing generoso para os requisitos de design dos reguladores europeus, que emitiram uma regra… Forçar o carregamento do USB-C por meio de dispositivos eletrônicos.

A Apple revelou na terça-feira que sua mais recente linha de produtos, o iPhone 15, abandonará a porta Lightning da empresa em favor das portas USB-C exigidas pela Europa. O iPhone mais recente da empresa possui uma tomada de carregamento um pouco maior e mais arredondada que seu antecessor, mas é capaz de fornecer carregamento mais rápido.

A regra visa reduzir o desperdício eletrônico e economizar dinheiro dos clientes, tornando uma única porta compatível com uma variedade de dispositivos. Embora a Apple tenha resistido a esta mudança, alertando que as determinações governamentais poderiam sufocar a inovação, ela tornaria possível usar o mesmo cabo USB-C que alimenta um Mac para carregar um iPhone.

Além do iPhone, a empresa revelou os fones de ouvido sem fio AirPods Pro com estojo de carregamento USB-C.

A mudança mostra como os reguladores estão mudando os negócios da Apple. A Apple se posicionou como a principal guardiã de mais de um bilhão de usuários do iPhone em todo o mundo, construindo dispositivos e serviços proprietários. Para alcançar esses clientes, os desenvolvedores de aplicativos deram à empresa até 30% de suas vendas, e as empresas de acessórios pagaram uma taxa para fabricar cabos com portas Lightning.

READ  'Street Fighter 6' foi confirmado através de um novo trailer

Mas no meio de preocupações crescentes sobre o poder das empresas tecnológicas sobre a economia global, os governos emitiram regras e emitiram avisos que forçaram a Apple a abrir-se. Na Europa, a nova lei antitruste exigirá que a Apple permita a venda de aplicativos para iPhone fora de sua App Store. Nos Estados Unidos, reguladores investigam a prática da empresa de bloquear outras pessoas Usando o recurso tocar para pagar do iPhone capacidade. Na China, há uma campanha governamental contra os funcionários que usam iPhones no trabalho.

A Apple enfrenta desafios governamentais ao mesmo tempo que tenta reacender os seus negócios. A queda nas vendas de iPads e Macs levou ao período de declínio mais longo desde 2016. As compras de iPhone, que representam mais de metade da receita total, estão a abrandar. A venda de aplicativos e serviços pode ser restringida por regulamentações governamentais.

“A Apple é vítima de seu próprio sucesso e todos estão crescendo em tecnologia”, disse Mike Frazier, presidente da Bedell Frazier Investment Consulting, uma empresa de investimentos em Walnut Creek, Califórnia.

Além da porta USB-C, a Apple apresentou outras melhorias no iPhone 15, incluindo câmeras melhores e engastes menores ao redor da tela. Os dois modelos Pro de última geração, que custam a partir de US$ 999, apresentam um corpo de titânio mais leve e processadores feitos por meio de um processo de fabricação avançado que, segundo a empresa, aumenta drasticamente o desempenho. Ele substitui o botão mudo encontrado nos modelos anteriores por um novo botão que pode ser pressionado para usar a câmera do telefone ou iniciar uma gravação de áudio.

Os telefones avançados também têm a capacidade de gravar vídeo 3D, que pode ser visualizado no fone de ouvido de realidade aumentada que a Apple lançará no próximo ano.

READ  Yoffe Yoffe veio a público com algumas partes da controvérsia 'No Clouds'.

A Apple aumentou o preço do iPhone Pro Max, o modelo top da empresa, em 9%, para US$ 1.199. O celular maior traz a câmera mais avançada do grupo com zoom óptico cinco vezes maior, o que contribuiu para o primeiro aumento de preço da linha de iPhone em cinco anos.

Os modelos básicos do iPhone 15, que custam US$ 799 e US$ 899, adotam muitos dos recursos disponíveis nos modelos do iPhone Pro do ano passado, incluindo o processador do ano passado e a Dynamic Island, uma barra de ferramentas na parte superior da tela. Toda a linha do iPhone oferece carregamento sem fio.

“Isso é decepcionante”, disse Gene Munster, sócio-gerente da Deepwater Asset Management, uma empresa de investimentos e pesquisas com sede em Minneapolis. “Mas para a pessoa média com um telefone de três a quatro anos, isso é uma atualização suficiente.”

A Apple completou sua nova linha de iPhone com atualizações nas ofertas do Apple Watch. Um processador atualizado e avanços de software permitem que as pessoas que usam seu relógio mais recente, o Série 9, atendam chamadas telefônicas tocando duas vezes o polegar e o indicador. Ela descreveu o relógio como seu primeiro produto neutro em carbono, dizendo que foi feito com energia 100% limpa, compensações de carbono e embalagens menores para reduzir as emissões associadas ao envio do produto.

Voltado para entusiastas de atividades ao ar livre, o Apple Watch Ultra possui uma tela mais brilhante e maior faixa de altura. Ele também oferece novos recursos para ciclistas que desejam conectá-lo a outros dispositivos que medem desempenho.

A Apple revelou seus produtos em Cupertino, Califórnia, no Steve Jobs Theatre, um salão subterrâneo com 1.000 lugares no campus da empresa. O local estava lotado de jornalistas e funcionários. Milhões de pessoas sintonizaram-se online para assistir aos comerciais da Apple para seus novos produtos.

READ  Tudo o que sabemos sobre o iPhone 15

O CEO da Apple, Tim Cook, usou o evento do iPhone para lembrar os clientes sobre o novo fone de ouvido de realidade aumentada, que foi lançado em junho, antes de seu lançamento no próximo ano.

Mas mesmo depois que os fones de ouvido forem lançados no próximo ano, o iPhone ainda será o motor dos negócios da Apple. A empresa vende mais de 200 milhões de iPhones anualmente, arrecadando cerca de US$ 200 bilhões.

Embora as vendas dos seus dispositivos premium tenham diminuído ligeiramente este ano, o iPhone expandiu o seu domínio no mercado de smartphones. Sua proporção no total de smartphones vendidos em todo o mundo aumentou. Nos Estados Unidos, o aparelho já representa mais de 50% dos smartphones vendidos, ante 41% em 2018, segundo a Counterpoint Research, empresa de tecnologia.