Outubro 1, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Next compra KEUPE de Portugal para aumentar capacidade de produção

Segundo a NEXT, a aquisição da KEUPE é mais um passo na ligação de empresas de valor acrescentado em todas as fases do negócio e visa consolidar a sua posição nos segmentos de referência da indústria têxtil como o luxo.

O grupo já tem oito fábricas na Espanha, Portugal, Guatemala e Estados Unidos. Ela fabrica tecidos e roupas para empresas globais de moda nos setores de esportes, moda praia, luxo, medicina e lingerie.

Em outubro, iniciou uma reestruturação empresarial, A empresa viu a integração de suas instalações espanholas.

O Nextil Group disse que permitiria que Tóquio e Rytex fortalecessem seu compromisso com a inovação e a sustentabilidade, concentrando-se nas instalações de fabricação em El Masno, Barcelona.

A aquisição da KEUPE permitirá à Next aumentar em 20% a capacidade produtiva da unidade de vestuário de luxo, com um modelo de produção próprio que restringe a produção de vestuário sob o padrão geral.

A KEUPE, localizada em Ponte de Lima, é a terceira aquisição da Nextile no país. Em 2018, a Next comprou a SICI93 e Playvest, com sede em Praga, e tem instalações de trabalho em VilaVerde, Vizela e Braga.

No segmento de luxo, a Next diz estar desenvolvendo coleções com maior valor agregado e volume.

Manuel Martos, CEO do Grupo Nextil, afirma: “Este é um passo muito importante para a Nextil continuar avançando no segmento de negócios de vestuário com crescimento significativo de negócios no mercado de luxo”.

Em 2021, o grupo registou um resultado operacional positivo de 0,048 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, em comparação com perdas de 8 milhões de euros no ano anterior. O EBITDA aumentou 498% para 3,2 milhões de euros, apesar dos preços mais elevados das matérias-primas, energia e transportes.

READ  O lançamento português do W Hotels vai abrir no dia 2 de maio
-->

Nextil diz que tanto as vendas quanto os lucros melhoraram significativamente devido ao foco em segmentos de alto valor agregado e às medidas de otimização implementadas pela equipe.

No terceiro trimestre, a unidade de vestuário, em particular, atingiu o EBITDA de 2,4 milhões de euros, comparado a 0,6 milhões de euros em 2020, um aumento de 57% na receita em relação ao ano anterior.

O limite de EBITDA cresceu de 20,8% em 2019 para 26,7% nos primeiros nove meses de 2021.