Dezembro 5, 2021

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

O governo português enfrenta uma derrota na votação do orçamento; Oportunidade de eleição

O parlamento de Portugal na quarta-feira deve rejeitar a proposta de orçamento de estado do governo socialista minoritário para 2022, o que poderia desencadear uma eleição antecipada e sufocar os planos de recuperação pós-epidemia do país.

Os socialistas moderados foram abandonados por seus ferrenhos aliados de esquerda do Partido Comunista e do Bloco de Esquerda, que nos últimos seis anos ajudaram a fortalecer o poder do governo votando ou retirando-se das políticas governamentais.

O primeiro-ministro Antonio Costa disse que não renunciará mesmo se for derrotado.

“É dever do governo, meu dever, não recuar quando as coisas estão difíceis”, disse Costa aos parlamentares. “Temos que enfrentar dificuldades.”

O presidente português, Marcelo Rebello de Souza, que não tem poder executivo mas supervisiona o governo do país, avisou que fará eleições antecipadas se o parlamento não aprovar o plano de gastos do governo no ano que vem.

A votação do orçamento estava prevista para quarta-feira à noite. Com exceção do Acordo de Décima Primeira Hora, a proposta do governo foi arruinada.

Devido aos requisitos constitucionais a serem cumpridos antes da eleição e das festas de Natal, a votação antecipada ocorrerá apenas em janeiro.

Isso significa que o novo orçamento para 2022 não chegará ao parlamento antes de abril.

O calendário está enviando Portugal a meses de turbulência política enquanto o governo se prepara para queimar a economia após a epidemia de COVID-19 com cerca de 45 bilhões de euros (US $ 52 bilhões) em ajuda da União Europeia.

Uma popular campanha de vacinação em massa ajudou Portugal, desta vez, o Covid-19 está em alta. Do jeito que as coisas estão, com menos de 1.000 novos casos por dia desde meados de setembro e mortes diárias em números únicos, a epidemia não deveria realizar eleições em um país de 10,3 milhões de habitantes.

READ  Turismo de Portugal assinou VFS como uma empresa global de comercialização e marketing

O Partido Socialista detém atualmente 108 cadeiras no parlamento de Portugal, com 230 cadeiras. Pesquisas recentes sugerem que ele vencerá facilmente as próximas eleições, mas perderá novamente a maioria parlamentar.

O primeiro-ministro Costa, cujo perfil político cresceu significativamente na UE quando presidiu à delegação portuguesa no ano passado, é amplamente considerado um candidato a empregos internacionais. Um resultado eleitoral ruim pode ser o sinal de que ele está deixando o cargo nacional.

Nas eleições de 2019 em Portugal, tanto o Partido Comunista quanto o Bloco de Esquerda perderam votos e sua popularidade diminuiu devido ao apoio aos socialistas moderados.

O Partido Social-democrata de centro-direita, o principal partido da oposição, está envolvido em uma guerra de liderança e não conseguiu tirar vantagem do dilema do governo.

Diferenças com os aliados de extrema esquerda dos socialistas se acumularam este ano. As principais divergências incluem o valor do aumento do salário mínimo, os direitos dos trabalhadores na economia do chute e as novas regras para trabalhar em casa, aumentos do imposto de renda, gastos com saúde pública e direitos de pensão.