Julho 18, 2024

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

O Plano de Transição Energética de Portugal visa um aumento maciço da energia solar

O Plano de Transição Energética de Portugal visa um aumento maciço da energia solar

Portugal dobrou suas metas para 2030 de capacidade instalada para energia solar e eletrolisadores usados ​​para hidrogênio verde, ao mesmo tempo em que aumentou suas ambições para a energia eólica offshore.

As novas metas fazem parte dos planos de energia e clima renovados

De acordo com o novo PNEC, Portugal pretende gerar 85% do consumo anual de eletricidade a partir de fontes renováveis ​​até 2030, acima dos 60% em 2022.

Espera-se que a energia solar atinja 20,4 GW até 2030, acima dos 9,3 GW no plano anterior, enquanto a capacidade do eletrolisador para produzir hidrogênio verde chegará a 5,5 GW até 2030, acima dos 2,5 GW previstos anteriormente.

O governo elevou sua meta eólica offshore para 2030 para 10,4 GW de uma previsão de 9 GW, devido ao impacto esperado da modernização da infraestrutura antiga.

O primeiro leilão eólico offshore do país, ainda este ano, levará à instalação de 2 GW de capacidade até 2030, sugeriu o plano.

O artigo continua abaixo do anúncio

Portugal já tem uma das maiores taxas de geração renovável para o setor elétrico em toda a UE.

Um novo impulso às ambições de energias renováveis ​​permitiria a Portugal reduzir suas usinas a gás natural de 5 GW para 3,8 GW em 2030, disse o documento português.

Portugal pretende reduzir as suas emissões de gases com efeito de estufa em 55% até 2030 face aos níveis de 2005, enquanto o seu plano anterior previa reduções na ordem dos 45% – 55%.

Portugal identificou a sua ambição de se tornar neutro em carbono cinco anos antes do seu Plano Nacional de Energia e Clima (NECP) original, que foi apresentado na sua primeira forma final em 2019.

READ  Estudantes de Goa em busca cultural por Portugal | Notícias de Goa

Os NECPs de todos os Estados Membros serão submetidos ao escrutínio público e o projeto final será submetido à Comissão Europeia até junho do próximo ano.

A Comissão da União Europeia publicou a sua primeira edição Avaliação em toda a UE dos PNEC finais A partir de setembro de 2020, cada país deve apresentar um relatório de progresso a cada 2 anos.

Os PNEC destinam-se a abordar cinco aspetos das políticas energéticas à escala da UE: descarbonização; eficiência energética; conservação de energia; mercado interno de energia; Investigação, inovação e competitividade.

A Comissão acompanha os progressos globais da UE na consecução destes objetivos.

Portugal está se saindo melhor do que muitos outros estados membros nesse aspecto, mas disse que precisa investir 75 bilhões de euros (US$ 82 bilhões) em projetos de energia verde.

O último plano do país coloca as energias renováveis ​​em 49% de todo o uso de energia, em comparação com 47% na versão anterior do plano nacional e a meta da UE de 32,5%.

No mês passado, o Tribunal de Contas Europeu (ECA) emitiu um relatório dizendo que o grupo corre o risco de não cumprir suas metas de mudança climática para 2030 devido à falta de financiamento e incentivos para investimentos de baixo carbono.