Dezembro 5, 2021

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

O presidente da ANACOM afirma que 5G chegará a Portugal dentro de algumas semanas

João Cadet diz que as operadoras em Portugal estão se preparando para iniciar negócios após um longo leilão de largura de banda compatível com 5G.

João Cadete, chefe da entidade reguladora portuguesa ANACOM, espera que Portugal acabe brevemente com a situação constrangedora de um dos dois países da Europa sem LG – sendo o outro a Lituânia.

Falando para a mídia depois disso Épico O leilão de espectro de 200 dias arrecadou cerca de 7 567 milhões para o tesouro estadual, Cadet apontou. De acordo com a Reuters – Assim que um ou dois resumos administrativos forem excluídos, os operadores estarão prontos para começar.

“É rápido … talvez algumas semanas”, disse antes de acrescentar – não há dúvida para os ‘três grandes’ do país – que o leilão vai trazer “uma concorrência tão necessária em Portugal”.

A Vodafone Portugal, no entanto, não resistiu a outro estudo da ANACOM sobre o desenho do leilão, e o CEO Mário Vaz não gostou. “Fiquei desapontado que o regulamento do leilão foi mal pensado e desenhado e o seu atraso excessivo causou um atraso significativo na implementação do 5G em Portugal em comparação com outros países europeus”, disse ele no comunicado. “[It will have] Efeitos nocivos para os portugueses, as empresas e a economia em geral. ”

Para além da Vodafone Portugal, NOS e MEO disponibilizarem várias ofertas de licenciamento, surgiram no mercado móvel duas novidades: o operador de cabo Telecom Novo, propriedade da Masmovil de Espanha, e a Dixarobil, do grupo Dicni Roménia.

A Dens Air Portugal, parte do Dense Air Group, com sede em Londres, com foco no modelo “host neutro”, também ganhou ofertas de licenciamento 5G para aprimorar seu espectro 3GHz atual. Ele não respinga no mercado de varejo 5G de Portugal, no entanto, ele se limita ao atacado.

READ  Os primeiros trabalhadores de Portugal tornam-se empregados

Quem tem o quê?

Todos os detalhes estão lá Aqui Da ANACOM, mas não num formato que facilite uma visão geral rápida.

Resumindo, a NOS saiu muito alta (cerca de 165 milhões de euros) e ganhou mais espectro do que as outras. Inevitavelmente, talvez, ele se declarasse o “vencedor” do leilão.

Pelo seu dinheiro, a NOS garantiu 100mHz na faixa de 3,6 GHz e 2×10 MHz na faixa de 700 MHz (tudo para 5G). Recebeu 2x5MHz na banda de 2100MHz e 2x2MHz na banda de 900MHz, que a NOS diz que será usado para “fortalecer a sua rede 4G e melhorar a qualidade do serviço em todo o país”.
A Vodafone pagou போ 38,4 milhões pelo espectro de 700 MHz (2×10 MHz) e € 94,8 milhões pelos 90 MHz a 3,6 GHz, segundo Portugal.

A MEO pagou € 125,23m de espectro em várias bandas (700 MHz, 900 MHz, 2,1 GHz e 3,6 GHz).