Setembro 28, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Portugal diz que a questão da cidadania de Abramovich está sob investigação

Futebol Futebol – Chelsea x Manchester City – 5ª rodada da FA Cup – Stamford Bridge – 21/2/16. O dono do Chelsea, Roman Abramovich. Filmes de ação da Reuters / John Sibley

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

Lisboa, 10 Mar (Reuters) – Portugal disse nesta quinta-feira que não revogará a cidadania do proprietário do Chelsea, Roman Abramovich, porque a medida não faz parte das sanções da UE contra oligarcas russos, mas seu status nacional pode mudar dependendo do resultado. De um julgamento.

O Kremlin impôs sanções à Grã-Bretanha na quinta-feira contra o cidadão israelense e português de 55 anos, intensificando as operações contra os aliados do presidente russo, Vladimir Putin, após a invasão da Ucrânia em 24 de fevereiro. consulte Mais informação

Em comunicado à Reuters, o Ministério da Justiça disse que as sanções do Reino Unido contra Abramovich, nascido na Rússia, por deixar a União Europeia não se aplicam fora do Reino Unido.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

O grupo, do qual Portugal é membro, não impôs sanções a Abramovich, mas acrescentou à sua lista vários grupos das chamadas oligarquias. As sanções incluem a retirada da cidadania de qualquer estado membro da UE que detenham.

Abramovich recebeu a cidadania portuguesa em abril de 2021 com base em uma lei que concede a cidadania aos descendentes de judeus separatistas expulsos da Península Ibérica durante a Inquisição Provisória. consulte Mais informação

Embora Abramovich seja um nome de família genérico de ascendência Ashkenazi, a história dos judeus separatistas na Rússia é pouco conhecida.

READ  As Ilhas Cayman, Espanha, Portugal e Buenos Aires dão as boas-vindas à realocação de trabalhadores nômades digitais remotos.

A procuradoria portuguesa iniciou em janeiro uma investigação sobre a concessão de cidadania a Abramovich. . Fontes do governo português disseram à Reuters na quinta-feira que Abramovich pode ser destituído de sua cidadania dependendo do resultado da investigação.

O porta-voz de Abramovich não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

João Paulo Badalha, especialista em anticorrupção e vice-presidente da Frente Cívica, organização que condena irregularidades na vida pública, disse à Reuters que o governo português deve implementar suas próprias medidas, independentemente de a UE se juntar a Abramovich ou não. Oligarquia permitida.

“Esta resposta evasiva do governo português implica uma indiferença flagrante… com os vagos interesses de Abramovich”, disse Badalha.

A cidadania de Abramovich não deve ser revogada por causa de sanções, mas por causa de “muitos sinais de fraude associados ao suposto processo de certificação de descendentes sebardos”, disse ele.

Badalha e outros ativistas, comentaristas e políticos pediram repetidamente uma revisão da lei que concede cidadania a descendentes de judeus sebardianos porque acreditam que ela está sendo usada pela oligarquia para se firmar na UE.

Os dados genealógicos dos requerentes são verificados por especialistas em Lisboa ou Porto, um dos centros judaicos em Portugal. O Centro do Porto foi responsável pelo processo de Abramovich. Eles negaram repetidamente o erro.

“É óbvio que a cidadania de uma pessoa não pode ser revogada… por isso a cidadania… é altamente desejável e procurada pelos oligarcas. Proporciona um alto nível de segurança”, disse Susanna Corrodo, chefe da sucursal portuguesa. Transparência Internacional. “Mas é por isso que não pode ser ‘vendido’.”

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

READ  O primeiro-ministro português elegeu o ex-presidente da Câmara de Lisboa como novo ministro das Finanças

Relatório de Katrina Demoni; Edição por Alex Richardson, Nick McPhee, William McLean

Nossos padrões: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.