Maio 23, 2024

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

General Francis Ogola: acidente de helicóptero queniano mata chefe do exército do país

General Francis Ogola: acidente de helicóptero queniano mata chefe do exército do país
  • Escrito por Ian Wafula
  • Correspondente de segurança da BBC, Nairóbi

Comente a foto, O Presidente Ruto posa com o Comandante das Forças de Defesa do Quênia, General Francis Ogola, nesta foto tirada em 28 de fevereiro

O comandante do exército queniano, general Francis Omondi Ogola, morreu após a queda de um helicóptero militar no oeste do país, disse o presidente queniano.

O General Ojola, o oficial militar de mais alta patente do Quénia, estava a bordo do helicóptero juntamente com outros 11 militares. Apenas duas pessoas sobreviveram.

Em conferência de imprensa, o Presidente William Ruto disse que foi um “momento de grande tristeza” para o país.

Ele já havia convocado uma reunião urgente do Conselho de Segurança.

Ruto disse que o incidente ocorreu às 14h20, horário local (12h20 GMT). O Presidente disse que a Força Aérea do Quénia enviou uma equipa de investigação aérea para apurar a causa do acidente.

O helicóptero caiu no condado de Elgeo Marakwet, cerca de 400 quilómetros a noroeste da capital, Nairobi. “Infelizmente, o avião caiu logo após a decolagem”, disse Ruto.

O General Ojola foi nomeado pelo Sr. Ruto em Abril do ano passado, depois de servir como Comandante da Força Aérea e Vice-Chefe das Forças de Defesa.

Ruto descreveu o general Ojola – que também era o principal conselheiro militar do presidente – como um oficial corajoso que morreu no cumprimento do dever.

Fonte da imagem, Imagens Getty

“Nossa nação perdeu um de seus generais mais corajosos, bravos oficiais e homens e mulheres em serviço”, disse Ruto à nação.

O General Ojola juntou-se pela primeira vez às Forças de Defesa do Quénia em 24 de Abril de 1984, de acordo com o site do Ministério da Defesa do Quénia.

Ele estava programado para comemorar 40 anos de serviço militar na próxima semana.

O ministério afirma que ele começou sua carreira como segundo-tenente na Força Aérea do país, onde treinou como piloto de caça na Força Aérea dos EUA. Em 2018, tornou-se Comandante da Força Aérea do Quénia, função que ocupou até se tornar líder militar do país.

Outros nove mortos no incidente eram oficiais militares superiores: Brigadeiro General Sawal Saidi, Coronel Duncan Kitani, Tenente Coronel David Sawi, Major George Benson Magundu, Capitão Soura Mohammed, Capitão Hilary Litale, Sargento John Kinyua Muriithi, Sargento Kleibhonse Omondi e Sargento Rosa. Nyawira.

Os dois sobreviventes estão em estado crítico e em tratamento.

Os policiais viajaram para a região do North Rift, no Quênia, que sofre com o banditismo.

Eles tinham a missão de reabrir algumas escolas que foram fechadas após ataques de bandidos. Eles também visitaram oficiais militares destacados para estabilizar a região.

Este acidente marca a segunda vez em três anos que um acidente de helicóptero matou pelo menos 10 oficiais militares no Quénia.

Pelo menos 10 soldados morreram em Junho de 2021, quando o seu helicóptero caiu ao aterrar perto da capital, Nairobi.